Tudo que você precisa saber sobre MEI para e-commerce

Tudo que você precisa saber sobre MEI para e-commerce

Empreender na internet é um passo muito importante e conta com desafios. Afinal, além de ter que entender sobre gestão financeira e de vendas, é preciso ter um MEI para e-commerce. 

Essa última prática é essencial para que seu negócio atue de forma legal e tenha acesso a uma uma série de vantagens que, provavelmente, você desconhece.  

Quer saber mais? Então, continue nos acompanhando para saber como e por que criar o seu MEI para e-commerce.

Legalize seu negócio com MEI para e-commerce

Você está pensando em inaugurar um novo negócio? E, além disso, os seus planos incluem abrir um e-commerce ou participar de um marketplace?

Saiba que você só poderá atuar com segurança na internet se tiver o “RG” da sua empresa. Ou seja, o CNPJ, que é criado a partir do momento que sua MEI nasce. E esse é apenas um dos muitos benefícios de se ter um MEI.

Quais as regras para abrir um MEI para e-commerce?

Não é qualquer empresário que pode ser um microempreendedor Individual. É preciso seguir algumas regras básicas para garantir que tudo dê certo.

Antes de falar sobre quem pode ou não atuar, vamos entender como surgiu essa iniciativa. No ano de 2008, a Lei Complementar nº 128 criou o MEI para proteger trabalhadores que atuavam na informalidade e sem qualquer apoio legal ou segurança jurídica. Como assim?

Simples, caso precisasse se afastar por motivo de doença ou licença maternidade, esse trabalhador informal não receberia qualquer tipo de auxílio. De lá para cá, mais de 7 milhões de pessoas ganharam seu sonhado CNPJ para atuar de forma legal no comércio, segundo pesquisa do Sebrae.

Qualquer pessoa pode abrir uma MEI exceto:

  • Empresa com sócios (afinal, o nome é Microempreendedor Individual, certo?)
  • Empresas que faturem mais de R$ 6.750 ao mês ou mais de R$ 81.000 ao ano;
  • Empresas que tenham ou pretendam ter filiais;
  • Empresa com mais de um empregado ou que pretenda ter mais de um funcionário;
  • Empresa com empregado que ganhe acima do piso salarial da categoria;
  • Advogados, arquitetos, engenheiros, médicos, psicólogos e professores.

Se você não se enquadra em nenhum dos itens citados, pode ficar feliz e preparar a documentação para abrir seu MEI. 

Você sabe como abrir o seu MEI para e-commerce?

Não há mistério no processo, assim como também não há custos. Você pode fazer o passo a passo todo sozinho. Entretanto, se não se sentir seguro, pode buscar ajuda com o SEBRAE, que também não vai cobrar nada.

Pronto para iniciar a criação do seu MEI? Primeiramente, deixe em mãos seus documentos. As informações requeridas são:

  • CPF;
  • Número do título de eleitor ou recibo da última Declaração Anual de Imposto de Renda de Pessoa Física;
  • Data de nascimento;
  • E-mail (precisa estar ativo, pois é por meio dele que você irá receber informações);
  • Número do celular.

Comece acessando o Portal do Empreendedor e, em seguida, clique em Formalize-se. Siga o passo a passo até que o número do CNPJ e o Certificado de Microempreendedor Individual sejam criados.

Quais as vantagens de ter um MEI para e-commerce?

Para começar com boas notícias, saiba que sua empresa ganha isenção de tributos federais, como o PIS, Cofins, IPI, CSLL e Imposto de Renda. Outro fato positivo está na possibilidade de administrar tudo sozinho, sem ter que contratar um escritório de contabilidade.

Vamos conhecer as outras vantagens?

Vender em um marketplace

Você sabia que só empresas com CNPJ podem participar de um marketplace? Sim, essa é uma das exigências para tornar-se membro e iniciar as atividades.

Além do mais, é necessária a emissão de notas fiscais para cada venda realizada. Ou seja, sem MEI você fica de fora dos marketplaces.

Aliás, se você tem interesse em atuar em um marketplace e não faz ideia por onde começar, saiba que existe uma ferramenta incrível que pode te ajudar, o Olist Store.

Por meio dele você tem uma série de vantagens, como anunciar em vários marketplaces ao mesmo tempo e administrar tudo em uma única plataforma. Vale a pena conferir!

Segurança financeira a longo prazo

Quando você paga a taxa mensal – mais conhecida como DAS – fique sabendo que, embutido nesse valor, está o INSS. Dessa forma, você está garantindo a sua aposentadoria no futuro.

Auxílio maternidade

Se você, microempreendedora, ficou grávida e vai precisar parar por um tempo, saiba que você tem direito ao auxílio maternidade por até 120 dias. Tudo isso só por ter um MEI para e-commerce e pagar o DAS todo mês.

Direito a afastamento por problemas de saúde

Não estamos imunes a problemas de saúde, que podem surgir a qualquer momento. Ainda bem que com o MEI você tem o direito a afastamento remunerado por problemas de saúde. Menos uma dor de cabeça enquanto você se recupera.

Você não é obrigado a ser MEI para sempre

O que mais desejamos é que seu e-commerce prospere ao ponto de você precisar trocar o MEI por um ME. Isso é completamente possível e você pode fazer a migração por meio do Portal do Simples Nacional.

Existem desvantagens em ser MEI?

Se a sua ideia é expandir o negócio, pode ser que tenha desvantagens, sim. Por exemplo, você não pode ter sócios, como foi dito anteriormente.

Além disso, se o seu e-commerce começar a exigir demais e você precisar contratar funcionários, saiba que é possível ter apenas 1 colaborador para auxiliá-lo.

Mas não fique triste, você pode fazer a transição do MEI para o ME, como já falamos.

Já está com o MEI para e-commerce pronto? Hora das dicas!

Um e-commerce de sucesso oferece não só um produto ao consumidor, mas sim uma experiência positiva. Portanto, veja a seguir como agradar e fidelizar o consumidor 4.0.

  1. Tenha um site rápido e responsivo;
  2. O design do site e do app devem ser intuitivos;
  3. Os meios de pagamento devem ser facilitados e diretos;
  4. Manter histórico de produtos colocados no carrinho;
  5. Oferecer atendimento personalizado;
  6. Adotar tecnologias para oferecer um atendimento mais rápido e eficiente;
  7. Tenha uma equipe treinada para oferecer atendimento humanizado;
  8. Implemente o SAC 4.0;
  9. Seja ativo nas redes sociais;
  10. Utilize o e-mail marketing com sabedoria (nada de excesso);
  11. Mantenha seus clientes sempre alimentados com informações e vantagens exclusivas.

Esperamos que suas dúvidas sobre MEI para e-commerce tenham sido esclarecidas. Desejamos ótimas vendas!


Publicado em: 08/06/2022 08:00:00
Facebook Twitter Google Plus LinkedIn Whatsapp
Montreal Contabilidade

Abra sua empresa

Conte com a Montreal para agregar valor ao seu negócio. Converse com a gente!